segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Because



Não existe, não persiste...


Nada volta como era.


Nem mesmos sonhos
tampouco voos
Brisa

Presente estagnado
melhor!
Futuro já passado...


Por diversas vezes me encontro frente a uma bifurcação onde tenho a oportunidade de escolher o caminho que vou seguir, onde consigo enxergar muito além do começo de cada trilha e como sempre, me deparo caminhando em asfalto impróprio... É como se meu organismo tivesse como fonte de vida a dor, o desespero e a total anulação do que me é benéfico.

Estou cansada. De dias, noites e todos os tic-tacs que o relógio dá. Preciso de pilulas, fórmulas e receitas que alterem esse "bem estar" que corrói pouco a pouco o que ainda me resta por dentro. Esse câncer que não se cura vem se mostrando cada vez mais forte, presente e inconsequente.

Nem Clarisse saberia...

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Ausente

Não importa quanto tempo passe, não importa quão diferente seja o horizonte, no fim de tudo, basta apenas uma palavra maldita mal dita e tudo retoma. São tantos esses fantasmas que me perturbam, são tantas claras noites que afugentam o sono de quem precisa dele para esquecer... Meu passado não me condena, mas me atormenta.

As mesmas vozes, os mesmos rostos, o mesmo tudo.

Mais um vez, a tal felicidade que parecia se aproximar para ficar, dá licença para que esses monstros retomem os meus dias. Não existem trancas para essa porta.

Dias de escuridão se aproximam e minha lanterna não consegue mais clarear meu caminho.

Viver caminhando sobre pedras que já chutei...

De que vale tantos sonhos se os dias os tornam pesadelos?

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

This is not my place

Adaptações e muitas mudanças...

Coração que não sabe por onde anda
Fantasia que não se enquadra nas alegorias
Não desfila... incrimina
Transformo confusões em confissões
"sou poço seco e mesmo quando cheio, transbordo em solidão"
Outra noite, outra máscara... a mesma máscara
Construindo castelos de fina areia
Fim de tarde, brisa leve e tudo se vai

E essa loucura não tem hora para acabar...





domingo, 1 de setembro de 2013

Visto de fora

O olhava como fácil presa
Não lhe dirigiu a palavra
Avançou-lhe a boca e consumiu...
Seu calor,
seu pudor

Chamas internas
Gemia, pulsava, tocava
Unhas que se cravam em costas
Ofegante...
Respira

Já em leito de boêmio
Se conduz em afagos
Espasmos
Adormece, amanhece
Mais um dia

Não esquece...

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Yes, I'd rather hurt than feel nothing at all

mais um madrugada...

e são tantas coisas que passam na minha cabeça. sim, ainda lembro do nosso primeiro beijo, mas me lembro também de um outro anterior que me levou até você... e eu me sinto tão confusa por não conseguir me libertar das tuas lembranças, mas também não saber exatamente o que de fato quero quando te olhar nos olhos outra vez. o fato é que mesmo depois de todo esse tempo, você ainda existe aqui e todas essas poucas e intensas memórias parecem me sufocar nas noites que o sono não vem. eu não quero, ou talvez ao menos não preciso mais disso... não é mais saber que corro o risco de subir uma escada e te encontrar, tampouco ver que teu sorriso não é mais pra mim, é de alguma forma não conseguir juntar todas as informações e extrair delas uma resposta sensata ao que eu não faço ideia do que sinto.

eu sei exatamente o que não quero e, partindo disso, entender tudo isso que restou de você em mim deveria ser algo simples.

mas isso é apenas mais uma confissão...

feliz um ano de distancia.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Que se fale então o canto do choro

Não há maneiras que segurem em mim o pranto nebuloso...

Ah, meu bem!
Quem dera eu, nesse dia de sol farsante
Aquecer-me em teus pensamentos de saudade.
Mas não há mais lembranças
Só o comum acaso do descaso.

Hoje à noite não me trará sorrisos
Não terei tua voz no telefone
Nem teu olhar em meio as grades
Não haverá música pra embalar dançarinos noturnos
Nem mesmo teu respiro

Ah, minha estrela cadente!
Se outra vez cruzasse meu céu
Me ergueria dessa terra pra te seguir no Universo
Não faria nenhum pedido...

Não faria nenhum sentido...



segunda-feira, 15 de julho de 2013

Sonho de fantasia

Que se faz, se mente, se inventa...

De repente me invade e me transborda de lembranças
me afoga e provoca turbulência onde a calma parecia estabilizada. 
Deito e não durmo, sonho e se quer tenho os olhos fechados.
Estará tão longe assim o fim desse caminho?
Queria apenas, não sei...
talvez ter certeza...

Confusão

Dia de certo errado
cretino!
tolo!
MALDITO!
choro...

mais um que será refeito
bem feito 
perfeito 
lamento
TORMENTO!



quarta-feira, 10 de julho de 2013

Sobre o tempo que passa

Dias, noites, tardes infinitas...
pensamentos soltos e obsoletos
mais um café, por favor.
outra volta do ponteiro no relógio
tic-tac, tic-tac
Sonhos de amor perfeito
amizade que confunde o peito
Tempo
lento.

Torneira pinga
lembranças voltam
mais um dia, por favor
outra vez a terra faz a volta completa
caminhos em ninhos
frio e calor
amor
dor

Sorrisos vagos
amores pagos
cama vazia


segunda-feira, 10 de junho de 2013

Ela então revive

"Se a dor que trago em tragos e goles me consome e me inunda, Clarisse sopra-me vida e coragem.
Clarisse volta dos mortos para que meu eu não morra. "






Fora afora em busca de alimento d'alma
Despiu-se da esperança
Espedaçou o amor e bons costumes

Entregou-se ao primeiro sorriso que lhe agradou
Suspirou
Inspirou
Encorajou

Grudou-lhe com sussurros no ouvido
Provocou-lhe tocando
Passeando, rodeando, apertando
Corpo, pele, gemidos

Retribuía
Gemia
Sorria

Outro beijo
Outra língua
Outro corpo
Invadia
Subia
Descia
Ofegava
Diminuía
...
Trepidou
Se olhou
Parou.

Vestiu as roupas do chão
Olhou para ele
Agradeceu e disse Adeus